Top Ad unit 728 × 90

Plano de Aula: O Coelhinho que não era da Páscoa.

O coelhinho que não era da páscoa: Linguagem e reescrita de uma narrativa

Autor:  Amanda Barros Teixeira
JUIZ DE FORA - MG
COL DE APLICAÇÃO JOÃO XXIII

Coautor(es):  Andréa Vassallo Fagundes
O coelhinho que não era de Páscoa

Estrutura Curricular
MODALIDADE / NÍVEL DE ENSINO
Ensino Fundamental Inicial

COMPONENTE CURRICULAR
Alfabetização
Língua Portuguesa

TEMA
Processos de leitura
Língua escrita: prática de produção de textos
Evolução da escrita alfabética

Dados da Aula
O que o aluno poderá aprender com esta aula:

Desenvolver o gosto em ouvir histórias utilizando uma narrativa sobre a páscoa
Incentivar hábitos de escrita através da produção de um texto criativo apresentando outro final para a história
Fazer com que as crianças compreendam que é preciso respeitar as diferenças e o gosto de cada um a partir da moral apresentada no livro
Desenvolver a imaginação e a criatividade através de um desenho sobre o livro trabalhado

Duração das atividades: 2 aulas de aproximadamente 50 minutos

Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno:
Estar alfabetizado e inserido no processo de letramento.

Estratégias e recursos da aula

Momento 1   
Conversar com as crianças a respeito da páscoa. Fazer perguntas como:
O que vocês sabem sobre a páscoa?
Qual é o animal que aparece nessa época?
O que ele traz?
De onde vocês acham que vêm os ovos de chocolate?
Onde são produzidos?
Depois de uma conversa informal apresentar e ler o livro: “O coelhinho que não era da páscoa” de Ruth Rocha.
Disponível para ouvir em: http://www.plenarinho.gov.br/sala_leitura/ouca-uma-historia/o-coelhinho-que-nao-era-de-pascoa/?searchterm=ocoelhinhoquenaoeradapáscoa

Momento 2   
Fazer uma interpretação oral da história. Perguntar:
Quem era Vivinho?
Ele era igual aos seus irmãos?
O que ele tinha de diferente?
Existe algum problema em ser diferente ou gostar de coisas diferentes?
Foi bom Vivinho ser diferente? Por quê?

Momento 3   
Após a interpretação oral a professora distribuirá uma folha ofício ou o caderno aos alunos e pedirá que cada criança produza um texto e um desenho recontando a história, porém, criando um final diferente para a mesma.
Exemplo: De que outra maneira Vivinho poderia solucionar o problema dos ovos?
Ao término dessa atividade as crianças irão apresentar para os colegas o final criado para a história.

Momento 4
A partir da apresentação dos alunos, a professora deve ressaltar as diferentes soluções apresentadas, afirmando que assim como aconteceu no livro, as pessoas são diferentes, cada um pensa de um jeito e precisamos respeitar essa diversidade. Fazer com que as crianças reflitam que é bom cada um ter um objetivo. Dar exemplos:
Imaginem se todas as pessoas fossem professores? Como seria quando alguém ficasse doente? Onde estariam os médicos?
E se todos fossem médicos? Quando um lugar pegasse fogo, onde estariam os bombeiros?
Esclarecer que muitas vezes não existe certo ou errado, mas é importante respeitar a opinião de cada um, seja em uma brincadeira, seja em uma escolha, seja em uma decisão.

Recursos Complementares
O livro está disponível para baixar em: http://www.aprenderebrincar.com/2016/03/livro-o-coelhinho-que-nao-era-de-pascoa.html

Avaliação
Observar a participação dos alunos durante a atividade de compreensão oral.
Analisar a compreensão da história diante das perguntas apresentadas.
Analisar se o aluno soube se expressar por escrito com criatividade e imaginação.
Analisar se apresentou coerência nas idéias ao produzir a continuação da história.
Identificar o avanço em relação ao código escrito do aluno.
Observar se a partir desse trabalho os alunos estarão respeitando as diferenças existentes entre si.

Plano de Aula: Portal do Professor
Plano de Aula: O Coelhinho que não era da Páscoa. Reviewed by Elaine Cristine on 01:11 Rating: 5

Nenhum comentário:

All Rights Reserved by Aprender e Brincar © 2014 - 2015
Powered by Blogger

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.