Curso: O Cotidiano na Educação Infantil.

Apresentação elaborada por: Marlene Herter Dalmolin
Analista técnica GERED - Joaçaba-SC.


Palestrante: Rita Petry
Supervisora de educação básica e profissional GERED - Joaçaba.
Gerência Regional de Educação.

(Re)encontro com a infância, a sua infância, a nossa infância...
E principalmente, com a infância que desejamos para a criança contemporânea .

Educação infantil:
- Tem sido foco de inúmeras pesquisas nacionais e internacionais.
- Garantia dos direitos das crianças na ampliação de suas relações com o mundo.

Crianças que frequentam uma educação infantil de boa qualidade obtêm melhores resultados em testes de desenvolvimento e em seu desempenho na escola primária.

Há um discurso:
- político
- social
Sobre a infância de direitos e de outro que são as práticas sociais relacionadas as crianças que não garantem seus direitos fundamentais.

Há uma separação entre defesa dos direitos das crianças e sua efetivação com a prática .
Em análise à documento legais,verifica-se distância entre a normatização e aplicação das legislações.
A legislação sozinha,não tem o poder de solucionar os problemas e tampouco,garantir a aplicabilidade de seus artigos.
Há necessidade de organização por parte da sociedade. É necessário manisfestar-se em defesa da efetivação dos direitos das crianças.

Escola: espaço estimulante, educativo, seguro e afetivo.

Professores devem construir uma:
- Proposta pedagógica - Para garantir que os direitos das crianças sejam respeitados no cotidiano da instituição, nas vivências e experiências educativas. Articulando a prática pedagógica com a família e comunidade.
Não há concenso entre as “idades” da infância pois esta concepção varia entre sociedades,culturas, comunidades e pode variar no interior da família.
Segundo vygotsky (1993), na brincadeira a criança comporta-se de forma mais avançada do que nas atividades da vida real.

Meus oito anos
Oh! Que saudade que tenho
Da aurora da minha vida,
Da minha infância querida
Que os anos não trazem mais!

Que pulava corda,
brincava de boneca,
nossa...
Quando tinha oito anos,
Achava brincadeiras criativas.
Tudo pra mim era fácil,
e agora tudo é difícil.

Dormia tarde.
Só desenhava,
Já era boa aquela vida,
legal e divertida,
porque será que o tempo,
passa tão rápido,
eu queria ter oito anos
para fazer tudo
o que a consciência mandasse
mas agora,
só tenho que pensar em crescer,
para ser alguém na vida!

( J.J.A.-f.- 10 anos)

Pensamos na nossa infância e lembramos...
Pular corda... Amarelinha... Pipa... Balança...

O brincar se caracteriza por atividades que envolvam reflexões ideia e aprendizagens.
Podemos afirmar que a infância realmente é um período de alegrias ou há um mito de infância feliz.
A ideia de infância é tão óbvia que pouco paramos para pensar sobre ela.
Conhecer as implicações de tal questão é fundamental para os educadores que atuam diretamente ou indiretamente com as crianças e que buscam compreender as finalidades e a própria limitação deste campo educativo.
É necessário buscar um novo olhar para a infância, reafirmado nos pressupostos teóricos e filosóficos da PLESC (Santa Catarina,1998,P.19-21 )

O olhar sobre a infância nem sempre foi o mesmo e seus significados também não foram os mesmos.
Hoje,adultos e crianças pouco convivem e constituem sua história separadamente.
É preciso que a escola se questione que instituição de educação queremos para nossas crianças. Escola
É preciso ter claro no PPP: formas de garantir a satisfação das necessidades das crianças da educação infantil.
O professor planejar e executar atividades que valorizem:
- A brincadeira e jogos;
- As diversas linguagens;
- A interação social;
- A organização espaço-temporal.

Redimensionando e ampliando possibilidades de vivências e experiências infantis.
A importância dos registros das observações, da avaliação no planejamento da prática pedagógica vão indicar se o trabalho está no caminho certo.

É necessário entendermos a trajetória da infância no contexto histórico.
Cabe ressaltar que as crianças quando chegam à escola trazem sua diversidade,reflexos de desenvolvimento cognitivo,físico,afetivo e social próprios e desiguais .
Assim novos olhares,novas interpretações sobre o tema são importantes.
Uma vez não tendo proporcionado desenvolvimento a criança a partir das brincadeiras,do afetivo,do riso largo,teremos certamente,alunos problema.
É necessário,portanto,que as escolas reflitam e criem dentro da sua realidade e condições,
Uma prática que considere o ser criança na sua especificidade,bem como a infância como tempo de direitos.

Importante trabalhar a concepção da infância e da criança da educação infantil. Infantil.
Educar x cuidar x ensinar


0 comentários:

Postar um comentário