Top Ad unit 728 × 90

Projeto O Mágico de Oz.

PROJETO: FILME X LITERATURA
O mágico de Oz

Descrição

Narração do início da História
Chegada em Oz
Caminhada – Canção
Encontro com o Espantalho
Jogo de lógica
Magico de Oz
Encontro com o Homem de Lata
Trabalho manual: coração de papel
Caminhada: Os tesouros de Oz
Encontro com o Leão medroso
Jogo das maçãs
Chegada ao castelo do Mágico de Oz
Jogo: Tomada da vassoura da Bruxa
Final: Canção Além do Arco-Íris

Veja também: Carta Enigmática Mágico de Oz.

Desenvolvimento

00 - 10’ - Narração do início da História

O educador iniciará atividade contando para as crianças o início da história:
Esta é a história de uma menina chamada Dorothy e seu cachorrinho Totó, que viviam em uma fazenda em Kansas, com seus tios.

Suas preocupações começaram no dia em que o cachorrinho Totó mordeu a Srta. Sita, uma mulher muito má, porém, poderosa proprietária de mais da metade da cidade. A Srta. Sita não suportou a ofensa e, usando de sua influência, convenceu o xerife a aprisionar o cãozinho para, depois, abatê-lo.
Dorothy não suportou a idéia de perder seu maior amiguinho e, como última solução, resolveu fugir de casa, levando consigo Totó. No caminho ela encontrou um vidente-viajante. Este homem podia ver coisas do futuro, do passado e também coisas distantes e por isso pode ver que a tia de Dorothy iria sofrer muito com a sua ausência.
Isto convenceu a menina a voltar para casa, porém, no caminho, desencadeou-se um terrível furacão, Dorothy correu muito para chegar em casa a tempo de abrigar-se no subterrâneo, especialmente construído
para esse fim, porém, chegou tarde, seus tios desesperados pôr não terem conseguido achá-la, já haviam se recolhido no porão, trancados.
Sem outra solução, Dorothy correu ao seu quarto, onde as paredes tremiam, as janelas batiam, o vento uivava e penetrava fortemente fazendo tudo rodopiar.

00:10 - 10’ - Chegada em Oz

Preparação: O local de início da atividade, que seria a Terra de Oz, deverá estar decorado com muitas flores de papel crepom e ter o início da “estrada de tijolos” amarelos que levará até a Cidade das Esmeraldas onde está o castelo do Mágico de Oz. Esta estrada poderá ser feita de retângulos de papel cartão, ou, simplesmente em fios de lã.

Deverá haver uma representação de uma casa, ou seus restos, podendo ser apenas um caibro caído em cima de uma bruxa, representada somente por uma veste preta, ou um tecido que lembre uma saia, se possível, um chapéu jogado ao lado. O importante é que estejam a vista as canelas da bruxa tendo nos pés os sapatinhos vermelhos que serão usados pôr Dorothy, isto poderá ser feito apenas com meias recheadas com espuma ou outro tecido a fim de lhes dar volume e colocadas dentro de sapatos verdadeiros, uma vez que, estes sapatos serão usados durante todo projeto por Dorothy.

Todo este cenário deverá estar em local diferente de onde se contará o início da história. Deverá estar escondido através de uma cortina grande.
Magico de Oz
Desenrolar: Continuando a narração, as crianças serão convidadas a rodopiar, e dando pequenas voltas deverão ser conduzidas até o local decorado como a “Terra de Oz”. Neste momento o educador que estava fazendo a narrativa deverá sair discretamente e em seu lugar aparecer a educadora que encenará Dorothy, que daqui a diante conduzirá a atividade.

Dorothy encenará demonstrando que também está chegando naquele momento e, maravilhada, introduzirá as crianças no reino de Oz.
Intrigada não sabe onde está, mas suspeita que está além do Arco-Íris.
Para sanar as suas dúvidas outra educadora entra em cena como a Bruxa Boa Norte (esta bruxa deverá ser bonita, pois em Oz as bruxas boas, do Norte e Sul, são bonitas e as más, do Leste e Oeste, são feias)

A bruxa boa do Norte diz que foi chamada pelos gritos de alegria do povo pequeno que vive nesta terra. Esta alegria se dá devido ao fato de Dorothy ter matado a bruxa má do Leste que os escravizava e a quem eles odiavam.

Dorothy mostra-se espantada, pois não sabia ter matado bruxa alguma.
Mas a bruxa boa mostra que a prova está bem a vista: a malvada bruxa esmagada sob a casa. Dorothy procura argumentar que não havia feito nada e que isto, provavelmente, era em virtude do furacão.

A bruxa boa diz que de qualquer forma quer recompensá-la. Então, tira os sapatinhos de rubi da bruxa má e os entrega a Dorothy, dizendo que eles são mágicos e poderão ser muito útil.

Mas o que a menina mesmo quer é voltar para casa. A bruxa boa parece não conhecer o caminho de Kansas, mas imagina que o mágico de Oz, que vive na Cidade das Esmeralda, pode conhecer e com certeza irá ajudá-la.
Para chegar ao seu castelo é muito simples: basta seguir a estrada dos tijolos amarelos.

Antes de partir a bruxa adverte que Dorothy nunca tire os sapatinhos de rubi, pois eles serão a sua única proteção contra a bruxa má do Oeste, que é muito má e irmã da bruxa do Norte, e que com certeza, quererá vingar-se da morte da irmã.
Magico de Oz
00:20 - 05’ - Caminhada - Canção

Dorothy e as crianças iniciam a caminhada pelos tijolos amarelos e cantam a canção:

Siga os tijolos amarelos
Siga os tijolos amarelos
Siga, siga, siga, siga,
A Estrada de Tijolos Amarelo

Siga os tijolos,
siga os tijolos
siga os tijolos amarelos
Nós vamos ver o Mágico
O maravilhoso Mágico de Oz
Ouvimos dizer que ele é um ótimo mágico
O melhor que já houve

O Mágico de Oz o é, porque
Porque, porque, porque, porque (bis)
Porque maravilhas ele faz
Vamos ver o mágico
O maravilhoso Mágico de Oz

00:25 - 05’ - Encontro com o Espantalho

Em determinado momento a estrada se bifurca e Dorothy para pensativa sobre qual dos caminhos tomar. Neste momento ela escuta a voz de um espantalho que está parado ao lado:

Você deve tomar o caminho da direita, e aponta para a esquerda.

Quando Dorothy vai seguir a direção indicada, o Espantalho muda de idéia e indica outro caminho:

Não! Não! Não! O caminho é o da esquerda, apontando para a direita.
Magico de Oz
Para em seguida, discordar novamente:

- Não é para a direita... ou para a esquerda? Apontando alternadamente para a direita e para a esquerda.

Dorothy indignada pergunta se ela está fazendo isso de propósito ou não consegue se decidir. O espantalho responde que não é nenhuma das duas coisas, na realidade ele não consegue pensar, pois é feito de palha e, assim, não tem cérebro.

O espantalho solicita que a menina o solte do poste que está preso, ela obedece prontamente e os dois ficam amigos. Dorothy conta o objetivo de sua caminhada e o Espantalho fica fascinado com a idéia de visitar um mágico que tudo pode, pede, então, para acompanhá-la e, assim, poder pedir ao Mágico de Oz um cérebro. Explica que pouco problema causará, pois não come e não vai tentar tê-la sobre controle, uma vez que não sabe pensar.
Magico de Oz
00:25 - 05’ - Encontro com o Espantalho

Em determinado momento a estrada se bifurca e Dorothy para pensativa sobre qual dos caminhos tomar. Neste momento ela escuta a voz de um espantalho que está parado ao lado:

Você deve tomar o caminho da direita, e aponta para a esquerda.

Quando Dorothy vai seguir a direção indicada, o Espantalho muda de ideia e indica outro caminho:

Não! Não! Não! O caminho é o da esquerda, apontando para a direita.

Para em seguida, discordar novamente:

- Não é para a direita... ou para a esquerda? Apontando alternadamente para a direita e para a esquerda.

Dorothy indignada pergunta se ela está fazendo isso de propósito ou não consegue se decidir. O espantalho responde que não é nenhuma das duas coisas, na realidade ele não consegue pensar, pois é feito de palha e, assim, não tem cérebro.

O espantalho solicita que a menina o solte do poste que está preso, ela obedece prontamente e os dois ficam amigos. Dorothy conta o objetivo de sua caminhada e o Espantalho fica fascinado com a idéia de visitar um mágico que tudo pode, pede, então, para acompanhá-la e, assim, poder pedir ao Mágico de Oz um cérebro. Explica que pouco problema causará, pois não come e não vai tentar tê-la sobre controle, uma vez que não sabe pensar.

00:30 - 20’ – Jogo de lógica

História: Antes de iniciar a caminhada Dorothy nota que existem vários objetos coloridos no chão. Perguntando ao Espantalho o que é isto, ele lhe diz que é um jogo que gosta muito de fazer.
Preparação: O jogo é constituído das seguintes peças:
Conjunto de figuras grandes: 1 quadrado com 20 cm de lado, 1 triângulo isósceles com 20 cm de lado, um círculo com 20 cm de diâmetro e um retângulo com 25cm x 10 cm.
Conjunto de figuras pequenas: 1 quadrado com 8 cm de lado, 1 triângulo isósceles com 8 cm de lado, um círculo com 10 cm de diâmetro e um retângulo com 15cm x 5 cm.
Cada conjunto deverá ser cortado nas seguintes cores: vermelho, azul, amarelo e verde.
Poderá haver dois conjuntos, assim também a educadora que representa Dorothy poderá jogar com as crianças, o que dará melhor aproveitamento.
Desenrolar: O educador que está desempenhando o papel de espantalho convidará as crianças para jogar. Para iniciar, desafia inicialmente Dorothy o que servirá para demonstrar como o jogo funciona.
O jogo consiste em se estabelecer uma seqüência lógica utilizando as variáveis das figuras geométricas, do seu tamanho e da cor.
Inicialmente o Espantalho dispõe a seguinte seqüência:

E perguntará à Dorothy, qual é a próxima peça:
Dorothy responderá: - é claro que é o quadrado pequeno vermelho!
- E por que? Pergunta o Espantalho.
- Porque os quatro primeiros quadrados estão na seqüência de cores: amarelo, verde, vermelho e azul. Em seguida começam os pequenos, como já posso ver que os primeiros são: amarelo e verde, concluo que a seqüência de cores é a mesma que a dos quadrados grandes, portanto, a próxima cor é vermelha.
- Certo, diz o Espantalho, agora quero ver se você acerta esta:

- Esta é mais fácil ainda, é um triangulo pequeno verde.
- E, porque?
- Porque o primeiro par era somente de amarelo, um quadrado e um triângulo, o segundo só vermelho, um círculo e um retângulo, assim o terceiro par será verde, então a próxima peça será verde. Como no primeiro par o quadrado grande está acompanhado do triângulo grande, no terceiro par o quadrado pequeno verde estará acompanhado do triângulo pequeno verde.
- E você, sabichona, poderia me dizer após o triangulo pequeno verde o que viria?
Magico de Oz

- Mas é claro, um círculo pequeno azul, pelas mesmas razões.
- Você é muito espertinha, diz o espantalho vamos ver então como jogam os seus amiguinhos. O jogo começa então oferecendo às crianças as seguintes seqüências desafiantes:

Desafio número 1

Os conjuntos são pares de quadrados, um grande e um pequeno, assim a peça que falta para formar o terceiro par é um quadrado grande. Como os pares são da mesma cor, o quadrado que falta será vermelho.

Desafio número 2

Os pares são formados por um quadrado e um triângulo, ambos grandes. Assim, a peça que falta é o quadrado grande do quarto par. O primeiro par é azul e amarelo e o terceiro par inverte: amarelo e azul. O segundo para é vermelho e verde, assim o quarto par será a inversão do segundo e, portanto, a peça faltante será a verde.

Desafio número 3

Os conjuntos são formados por pares da mesma cor e tamanho. A seqüência das figuras geométricas é: quadrado, triângulo, círculo e retângulo. Desta forma a figura que falta para formar o terceiro par é um triângulo grande, que deve ser da mesma cor: vermelha.

Desafio número 4

A seqüência das figuras geométricas é quadrado, círculo, triângulo e retângulo, assim a próxima figura será um círculo. O primeiro conjunto é formado de quatro figuras grandes, assim como no segundo conjunto as três figuras são pequenas, o círculo conseqüentemente será pequeno. A seqüência de cores do primeiro conjunto é: amarela, verde, vermelha e azul. A seqüência de cores do segundo conjunto é a inversão da seqüência do primeiro, ou seja: azul, vermelho, verde e amarelo, assim a cor é verde.

Desafio número 5

Cada conjunto é formado por quatro peças: quadrado, círculo, triângulo e retângulo. Assim a terceira peça do segundo conjunto é um triângulo. A seqüência de cores é: amarela, vermelha, verde e azul, assim a cor seguinte é verde. As peças se alternam em grandes e pequenas, assim a próxima peça será pequena.
Magico de Oz
Desafio número 6

A seqüência é: quadrado, círculo, triângulo e retângulo, assim a próxima figura é um triângulo. As figuras se intercalam em: pequenas e grandes, assim a próxima será grande.
As cores estão na seqüência: amarela, verde, vermelha e azul, assim a próxima cor será vermelha.

Desafio número 7

Existe um trio composto por: um quadrado, um triângulo e um círculo todos da mesma cor que se repete três vezes. A figura pequena amarela é uma intrusa que intercala um trio do outro, como ela segue a mesma seqüência do trio grande a próxima figura será um círculo amarelo.

Desafio número 8

A seqüência das figuras geométricas é: círculo, triângulo e retângulo, portanto a figura que completará o último trio é um retângulo. A seqüência de cores é: vermelha, azul, verde e amarelo, que se repete duas vezes, assim, a próxima cor será novamente vermelha.

00:50 - 05’ - Encontro com o Homem de Lata

História: Mais a frente Dorothy e o Espantalho encontram um homem de Lata, totalmente imóvel, pois tomou muita chuva e enferrujou.

Quando eles chegam perto percebem que ele está murmurando alguma coisa. Quando chegam perto percebem que o que ele quer dizer e: “lata de óleo”. Ele quer que o lubrifiquem para que ele possa novamente se mover. Os dois assim procedem e o Homem de Lata começa a se mover.

00:55 - 20’ – Trabalho manual: coração de papel

Logo que o Homem de Lata desenvolve alguma amizade com Dorothy e o Espantalho começa a falar sem parar confessando que não é feliz porque não tem um coração. De tanto falar ele começa a chorar e fica com de se enferrujar de novo.
Diz que gostaria tanto de ter um coração que até aprendeu a fazer um trabalho manual de coração. Dorothy acha que isto é uma boa oportunidade para distrair o Homem de Lata e, desta forma, faze-lo parar de chorar. E assim pergunta:
- Homem de Lata, como é feito esse coração?

Você gostaria de aprender a fazer um coração de papel? O Homem de Lata pergunta para Dorothy com uma cara tão humilde e esperançosa que deixa a menina emocionada.
Magico de Oz
Todos começam a fazer o trabalho manual da seguinte forma:
Material: Dois quadrados de papel laminado dourado ou prateado de 10cm x 10cm, dois quadrados de papel camurça vermelho de 10cm x 10 cm, 10 cm de fita de cetim de 0,5 cm de largura vermelha. Cola e tesoura.
Como fazer: Coloca-se o papel laminado sobre o papel camurça e faz-se o traçado de “meio” coração, como mostra o desenho. Desde trabalho se obterão dois pedaços de coração “direitos” após isso, vira-se o molde e recortam-se os outros dois pedaços de papel, o laminado e o camurça. Assim, se obterá os dois pedaços de coração “esquerdos”.
Sem separar os dois papéis, recortam-se cinco linhas diagonais, como mostra a figura.

Depois disso, separa-se os papéis, pegando um pedaço de papel laminado “esquerdo” e um pedaço de papel camurça “direito”. Inicia-se o trançado, conforme mostra a figura.

Repete-se a mesma operação com os outros dois papéis. Terminando os dois trançados colam-se os dois corações formados, colocando-se a fita entre as duas partes. Com uma tesoura aparam-se as laterais.

Depois que todos terminaram, o educador que esta personificando o Homem de Lata tem uma ideia:
- Puxa já que ficou tão bonito, vamos usá-los para alguma coisa?
Com a provável resposta positiva das crianças, o Homem de Lata distribuirá a cada criança um pequeno pedaço de papel de cerca de 5 cm x 3 cm e pedirá que cada uma escreva o seu nome nele. Em seguida pedirá que dobrem o papel e o coloque em um saquinho. Depois que todos os papéis estiverem no saquinho o Homem de Lata os misturará bem e pedirá que cada pessoa retire um papel. As crianças sortearão cada qual um papel que significará o amigo que deverão ofertar o “seu coraçãozinho”. Pode-se distribuir para cada criança um pequeno cartão para que cada uma fale algumas palavras bonitas para o “seu amigo”. Este trabalho será guardado para ser entregue no final da atividade.
Logo depois que os corações forem feitos o Homem de Lata começa a chorar, pois, lembra que não tem coração, um coração de verdade, que possa fazer com que ele possa amar!
O Espantalho e Dorothy têm a ideia de que o Homem de Lata os acompanhe até a cidade das esmeraldas para pedir um coração ao Mágico de Oz.
Magico de Oz

01:15 - 10’ - Caminhada: Os tesouros de Oz

História: No caminho eles vão encontrando setas indicativas de que o Mágico de Oz se aproxima.
Preparação: Pelo caminho estarão pregados nas árvores sacos de papel, cada um escrito, em tamanho grande, uma das letras das palavras “Mágico de Oz”. Dentro de cada um dos saquinhos deverá haver um objeto que começa com a letra que se encontra no saco, por exemplo, no saquinho da letra M, poderá haver uma maçã, no saquinho da letra G, poderá haver um garfo, etc. Faz tantos conjuntos de saquinhos quantos forem suficientes para o número de crianças que está participando.

Desenrolar: As crianças deverão, durante a caminhada tentar adivinhar por meio do tato, o que existe no saquinho. Depois que todos deram os seus “palpites” pode haver uma pequena parada para a correção, que será feita da seguinte forma: As crianças deverão formar as palavras: “Mágico de Oz” alinhando um saquinho ao outro na seqüência certa, assim se formarão tantas frases quantas vezes ela foi recebida. Vencerá o jogo o equipe que tiver acertado o maior número de objetos existentes no interior dos seus saquinhos.

01:25 - 05’ - Encontro com o Leão medroso

De repente eles são surpreendidos por um leão que quer amedrontá-los, dizendo-se muito valentão. Dorothy irritada resolve lhe dar uma lição: uma bronca bem sonora e até o ameaça com uma palmada. Isto “desmancha” completamente o Leão que acaba confessando ser um covarde, realmente não ter coragem alguma e assustar-se com sua própria sombra.
Os três convidam o Leão a segui-los para pedir coragem ao mágico de Oz.

01:30 – 20´- Jogo das maçãs

Os quatro continuam a andar na estrada de tijolos amarelos quando Dorothy começa a sentir fome. Felizmente eles encontram uma imensa plantação de maçãs. Dorothy corre para pegar uma, mas, o Homem de Lata pede cuidado, pois elas poderão estar enfeitiçadas pela sua maior inimiga, a Bruxa má do Oeste. As maças poderão explodir, e havendo fogo, haverá morte instantânea para o Espantalho.

O Leão toma a dianteira, pega uma das maças com as duas mãos e parece sentir um choque. Tentando novamente percebe que só é possível pegar as maçãs com uma das mãos. Pede então as crianças que colham as maçãs para que todos possam fazer um pic nic.

Alerta, porém, sobre o cuidado que todos devem tomar. As maçãs somente poderão ser carregadas com uma das mãos e se caírem no chão deverão ter cuidados especiais, da seguinte forma:

- Após a primeira queda: a maçã deverá ser levada na palma da mão
Magico de Oz
- Após a segunda queda, continua-se levando com a palma da mão, só que com a mão esquerda.

- Após a terceira queda: continua-se levando a bola na palma da mão, mas o jogador deverá prosseguir a caminhada ajoelhado.

- Após a quarta queda: bola na palma da mão, mas a forma de locomoção será sentada.

- Após a quinta queda: a forma de locomoção continuará sendo sentada, mas a bola deverá ser equilibrada na testa. Esta forma será repetida até o final não importando mais quantas vezes a bola cair.

A colheita das maças será um jogo que poderá se desenrolar de duas forma, conforme o terreno que se tem à disposição.

Jogo para terreno amplo:

Preparação: As crianças deverão ficara grupadas em quatro equipes e se colocarem em fila indiana atrás de uma linha de partida. Dá-se um saco de lixo grande para cada equipe.

Distante cerca de 10 m da linha de partida colocam-se bexigas de cores verde e vermelhas na proporção de três por criança.

Designam-se duas equipes para “colherem” as maçãs verdes e duas para “colherem” as maçãs vermelhas. Estas equipes deverão ficar dispostas alternadamente.

Desenrolar: O objetivo do jogo é colher todas as maçãs pertencentes ao seu time e colocá-las na “cesta” correspondente. Assim, uma criança de cada vez, deverá sair e pegar a maçã da cor de seu time.

Conforme foi explicado pelo Leão, as maçãs oferecem certo perigo e por isso deverão ser levadas somente com uma das mãos. Mas se a mesma cair, elas ficarão mais frágeis e deverão ser levadas com mais cuidado. Assim o Leão explicará a seqüência que as maçãs devem ser levadas em caso de quedas, conforme descrito acima

Ao sinal do início o jogador parte e pega a maçã da cor que lhe corresponde, trazendo-a de volta segurando com uma só mão. No caso da maçã cair ele deverá trazê-la equilibrando-a na palma da mão, conforme as regras. O jogador deverá obedecer toda a seqüência de “cuidados” conforme foi explicado pelo Leão. Quando o jogador chegar no seu time deverá colocar a bola no saco de lixo e bater na mão do próximo companheiro que repetirá a mesma ação.
Magico de Oz
O jogo decorre com um tempo determinado, que poderá ser de 10 minutos. Os jogadores dos times vão se revezando continuamente, até que seja declarado o final do jogo. Neste momento conta-se quantas maçãs cada time conquistou, a vitória poderá ser por equipe ou por cor de maçãs, neste caso somam-se as quantidades de maças colhidas pelas duas equipes verdes e pelas duas equipes vermelhas.

Jogo para desenvolver durante a caminhada:

Preparação: Deixam-se bexigas nas cores verde e vermelho distribuídas ao logo da caminhada, neste caso deve haver uma bexiga por participante (com algumas de reserva para possíveis estouros)

Desenrolar: Nesta modalidade não há competitividade, mas somente um ensaio de destreza dos participantes. Designam-se as maçãs vermelhas a metade dos participantes e as maças verdes a outra metade. Cada criança irá se apropriando da maçã na cor que lhe corresponde ao longo da caminhada, que deverá ser de cerca de 30 m variando conforme as dificuldades que o terreno apresenta e a idade das crianças. Os cuidados para levar as maçãs deverão ser os mesmo que para o jogo anterior, como também os cuidados adicionais no caso de elas caírem.

Se alguma bola estourar a criança poderá pegar nova maçã e deverá começar a levá-la de acordo com a dificuldade inicial (somente com uma das mãos).

Terminado o jogo de qualquer uma das formas, Dorothy e seus companheiros agradecem muito a colaboração das crianças e colocam todas as maçãs em um cesto grande. Neste momento deverão encenar que está vindo uma grande ventania e com habilidade trocar o cesto por outro com maçãs verdadeiras (as maçãs deverão ser vermelhas e verdes ou carameladas, o que certamente será mais do agrado das crianças) Dá-se uma pausa para que todos possam comer as maçãs.

01:50 - 05’ - Chegada ao castelo do Mágico de Oz

Preparação: O adulto que encenará o mágico deverá ficar atrás de uma cortina, como demonstra o desenho. Neste primeiro encontro ele não aparecerá, ouvindo-se somente a sua voz.

Desenrolar: Finalmente eles chegam ao castelo. Quando tentam entrar são barrados por uma voz que pergunta o que desejam. Quando respondem que querem ver o Mágico de Oz, a voz argumenta:

Não é qualquer um que pode falar com o Mágico!

- Dorothy contra argumenta que não é qualquer uma, pois foi ela que matou a Bruxa do Leste, o que pode prova através do sapatinho de rubi, que pertenceu à bruxa e hoje é dela.
Magico de Oz
- Isto muda um pouco as coisas, mas somente poderei atendê-los depois que provar serem dignos disso. Para isso, quero que derrotem também a bruxa má do Oeste, e como prova me tragam aqui a sua vassoura. Fala o mágico com voz grosso e firme.

01:55 - 20’ - Jogo: Tomada da vassoura da Bruxa

Preparação: Traçam-se no chão, dois círculos concêntricos, o primeiro com 2 m de diâmetro e o segundo com 5 m. No centro do círculo menor deverá fica um adulto que representará a “bruxa”, munido de varias bolinhas feitas de jornal amassado. Esta bruxa deverá ter quatro ajudantes (um para cada equipe de crianças). No círculo externo ficará uma vassoura.
As crianças ficarão dispersas no campo a uma distância de aproximadamente 30m se o campo for aberto, e de 15m se for arborizado, permitindo que eles se escondam.
O Homem de Lata, o Leão e Dorothy dispersam-se no campo à vontade.

Desenrolar: O objetivo do jogo é pagar a vassoura que se encontra no interior do círculo maior e se desenrolará de acordo com as seguintes regras:
1 – A vassoura deverá ser pega conjuntamente por duas crianças e pelo Leão.
2 - A bruxa e seus assistentes poderão “petrificar” as crianças atirando nelas as bolinhas de papel.
3 – As crianças “petrificadas” deverão ficar imóveis até que sejam tocadas pelo Homem de Lata, pelo Leão ou por Dorothy.
4 - O Espantalho é o que comandará a ação do Homem de Lata, do Leão e de Dorothy.
As crianças deverão criar uma estratégia para chegar a pegar a vassoura. Os jogadores que conseguirem este intento deverão levantar a vassoura no alto e gritar:
-
Vencemos a bruxa má do oeste.
Os demais jogadores deverão correr e fazer um círculo em volta dos jogadores que ostentam a vassoura e juntos também gritarem:
Vencemos a bruxa má do Oeste!
A bruxa (e seus assistentes) percebendo que foi derrotada deverá sair correndo gritando.

02:15 - 10’ - Final: Encontro com o Mágico de Oz

Triunfantes eles voltam ao castelo e o mágico pede que voltem amanhã. Eles ficam revoltados e começam a pedir que sejam atendidos, afirmando que isto não se faz, pois eles cumpriram a sua parte do acordo, trazendo a vassoura da bruxa má do oeste, como o mágico pediu.
Magico de Oz
Mas nada faz com que o mágico mude de idéia. O Leão fica enfurecido com estas recusas e, muito bravo, parte em direção do mágico para atacá-lo. Chegando perto do trono do Mágico, o leão derruba a cortina e todos percebem que o grande Mágico, não era aquela figura importante que viam, mas sim, um homem comum.

Sem graça o Mágico de Oz confessa ser realmente impostor, mas ele diz que não é bem assim, ele se julga um homem bom:

- Na verdade eu sou um bom homem, o que eu não sou é um bom mágico!

O Espantalho indignado pergunta pelo seu cérebro e em resposta o mágico entrega para ele um diploma e fala:

- Todo mundo pode ter um cérebro, e você provou que tem um comandando o ataque a Bruxa. Lá do lugar de onde eu vim, os homens provam que tem cérebro, cursando várias escolas,e quando saem de lá não tem mais cérebro do que você, mas tem um diploma.
Assim, investido na autoridade que me foi conferida, eu entrego a você o grau honorário de DP, que quer dizer, Doutor em Pensamentologia.

O Espantalho ao receber o diploma começa a falar:

- A soma das raízes quadradas de dois lados de um triângulo isósceles é igual a raiz quadrada do terceiro lado

En todo triángulo rectángulo el cuadrado de la hipotenusa es igual a la suma de los cuadrados de los catetos

Neste momento Dorothy exclama:

- Esta vendo, seu cérebro estava sempre dentro de você, você é que não acreditava nele.

Ai o Leão resmunga: E a minha coragem?

- Como é que você acha que não tem coragem? Diz o mágico, quem foi que amedrontou a Bruxa malvada e urrou assustadoramente agora mesmo para mim? O que está faltando para você é uma medalha, portando usando do poder que me é conferido eu outorgo a você, por meritória conduta e extraordinário valor contra a Bruxa malvada, a medalha de membro da Legião da Coragem (figura ono)

E, quando o Homem de Lata, quer saber do coração, o Mágico fala:

- Um coração não é julgado por sua presença, mas por quanto você e amado por outras pessoas. O você provou amar e ser amado por muitas pessoas.
Magico de Oz
Isto é verdade, dizem os outros em coro!

Assim, como prova de minha estima por você, dou-lhe de presente este coração!

- Eu estou realmente muito feliz, diz o Homem de Lata, mas e Dorothy? Como voltará para casa?

Neste momento reaparece a fada boa e diz:

- Você não precisa de ajuda de ninguém, você sempre pode voltar para casa, seus sapatinhos mágicos podem levá-la aonde quiser. Mas você precisava aprender por si mesma, diga agora o que aprendeu:

- Não adianta percorrer o mundo todo procurando algo que deve estar dentro de nós, diz Dorothy. Veja o exemplo do Espantalho, do Leão e do Homem de Lata que passaram a vida toda procurando algo que sempre tiveram.

Dorothy bate três vezes os sapatinhos um no outro e vai embora correndo despedindo-se de todos.

O Homem de Lata diz que é hora das crianças também irem, mas que elas poderão levar uma recordação de Oz, poderão levar a prova da amizade que existe entre eles.
Pede, então, que as crianças peguem o coração que aprenderam a fazer junto com ele e entreguem ao amiguinho que sortearam, aproveitando para dar um abraço bem apertado.

02:25 – 05´- Final: Canção Além do Arco-Íris

Para terminar todos cantam juntos a canção da Terra de Oz:

Em Algum Lugar Sobre O Arco-íris
Em algum lugar sobre o arco-íris
Bem alto
Existe uma terra sobre a qual eu ouvi
Uma vez numa canção de ninar
Em algum lugar sobre o arco-íris
Os céus são azuis
E os sonhos que você se atreve a sonhar
Realmente se realizam
Um dia eu farei um pedido a uma estrela
E acordarei onde as nuvens estejam longe
Detrás de mim
Onde os problemas derretam como pastilhas de limão
Longe acima do topo das chaminés
É lá que você me encontrará
Magico de Oz
Em algum lugar sobre o arco-íris
Azulões voam
Pássaros voam por sobre o arco-íris
Por que, então, ah por que não posso?
Se felizes azulõezinhos voam
Além do arco-íris
Por que, ah por que não posso?

NÃO DEIXE DE VER O FILME

Atividades em WORD para trabalhar em sala de aula:
Atividades para imprimir
Projeto O Mágico de Oz. Reviewed by Elaine Cristine on 00:00 Rating: 5

Um comentário:

All Rights Reserved by Aprender e Brincar © 2014 - 2015
Powered by Blogger

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.